Don Rosa na CCEXP 2014



Bom, a não ser que você, entusiasta do quadrinhos Disney que nos acompanha, tenha passado os últimos tempos escondendo-se embaixo de uma pedra ou vivendo na lua você deve estar sabendo que o Mestre Disney Don Rosa passou o último final de semana em terras tupiniquins, participando da Comic Con Experience 2014.

Muitos fãs estiveram presentes nos eventos que contaram com a presença de Mr. Rosa: sessões de autógrafos e um panel onde o autor foi convidado a falar sobre "Os 80 Anos do Pato Donald". Dentre eles, vários esquilos estiveram presentes no evento. Vamos falar um pouco sobre a palestra do Mestre, e contar um pouco de nossas experiência nesse evento tão especial!

Autógrafos e Prints

Mr. Rosa trouxe consigo várias prints de artes diversas de sua autoria, às quais podiam ser compradas diretamente com ele. Várias ilustrações, algumas já conhecidas e outras nem tanto, faziam parte do catálogo. Conhecido pelo detalhismo, o Mestre expressou via Facebook preocupação com a falta de espaço para expor as artes adequadamente. Tal preocupação se provou supérflua frente aos fãs brasileiros que fizeram filas durante todo o tempo disponível para os autógrafos, muitos aproveitando a chance de levar para casa as artes do Mestre assinadas. Em contrapartida, Rosa atendeu os fãs com extrema atenção, autografando itens diversos, sob a condição de que fossem publicações exclusivas de seu trabalho (publicações mistas não eram aceitas). Também fazia sketches de personagens diversos a pedidos (com as restrições e preferências já conhecidas pelos fãs, como a implicância com nosso querido Peninha).

Foi uma experiência muito especial, para muitos um verdadeiro sonho realizado. É bastante rara a oportunidade de termos contato com os Mestres por trás dos quadrinhos Disney, sendo que mesmo nossos conterrâneos só foram ganhando destaque recentemente (ainda temos esperança que o Herrero venha a aparecer em um Festival Guia dos Quadrinhos). A própria estrutura de eventos de quadrinhos dessa magnitude é bem recente, e esperamos que com iniciativas como as várias que tivemos neste ano apontem pra um futuro promissor nesse sentido.

Um dos grandes mistérios do universo dos Patos, a paternidade dos sobrinhos do
Donald, foi finalmente revelada no evento pelo autor.

Desenhando o jovem Patinhas no book do  álbum "The Life and Times of Scrooge",
do finlandês Tuomas Holopainen.

Algumas prints que estavam disponíveis para os fãs.

Conseguimos também presentear o Mestre com uma produção caseira de homenagem à sua obra, organizada pelos e com informações a respeito dos Esquilos. Temerosos do conhecido gênio crítico e jeitão linha-dura do figura, ficamos muito contentes com a aprovação de Mr. Rosa.

"- Hm... Very good, Squirrels!!"

Com o presente em mãos.

Cumprimentando o C.H.E.F.E.

Bate-papo com Don Rosa: Os 80 Anos do Pato Donald (ou não)



O bate-papo com o autor ocorreu no sábado, para lotação máxima (400 pessoas) no auditório Ultra. Mediado por André Conti, o tema da discussão remete à temática central das apresentações da Abril nos eventos de quadrinhos deste ano, sendo que a muitos fãs pareceu estranha a ausência da editora no evento. Na verdade, a Abril não esteve presente absolutamente no evento, o que explica o fato em grande parte.

Os 72 Anos do Pato Donald?

Logo na pergunta de abertura, Rosa atacou o tema da discussão, afirmando que, para ele, não existe essa história de Pato Donald 80 anos. Conforme já defendera em diversos meios anteriormente, o autor enfatizou que não tem interesse pelo Pato de Walt Disney, o qual considera meramente um "personagem-ator", desprovido de personalidade e que era usado conforme a necessidade dos curta-metragens, focados em um humor pastelão. Afirma que "seu" Donald é o Donald de Carl Barks, indissociável de sua Patópolis, sua família e seus problemas cotidianos, sua personalidade e desafios particulares. "Seu" Pato Donald teria nascido, portanto, em 1942 em "Donald Duck Finds Pirate Gold" e não 8 anos antes, em "The Wise Little Hen".

Disseminando a Palavra

Bem conhecida dos fãs, a polêmica de Rosa com a Disney e os direitos autorais foi abordada pelo autor, que afirmou ter tomado como sua missão informar, em suas visitas pela Europa e, agora, América Latina, sobre a verdadeira autoria dos quadrinhos Disney, da tradição que, segundo ele, surgiu com Barks e que não deve ser associada à "grande corporação" Disney.

Editora Abril

Ainda no assunto dos direitos autorais, Rosa afirmou seu descontentamento com a Editora Abril, detentora dos direitos de publicação de seu trabalho no país. Como é bem sabido dos fãs, o autor critica o fato de não receber royalities pela reimpressão contínua de seus trabalhos, e é proibitivo ao uso de seu nome para divulgar tais produtos, por conta disso. Rosa patenteou o uso do nome em diversos países, e afirmou que exige o controle do conteúdo e formato das publicações que pretendem usar seu nome para se promover. Contou que em vários países a experiência foi positiva (como é o caso da coleção de luxo de suas obras lançada na Alemanha, e a recente coleção em capa dura da Fantagraphics, nos EUA). Afirmou que a Editora Abril foi intransigente em aceitar suas condições, e que por conta disso não permitiu que seu nome fosse apresentado no título de suas publicações.

Don Rosa e a Banda Desenhada

Perguntado pelo mediador a respeito das mudanças do sistema de quadrinhos Disney, que foram de um período em que os autores não eram creditados por nome até a publicação da coleção da Fantagraphics em seu nome, Rosa respondeu com uma aula sobre o sistema norte-americano de "direct sales", e defendeu a posição de que o mesmo é responsável pelo encolhimento do mercado de quadrinhos norte-americano. Afirmou ter vergonha da situação do mercado de comics norte-americano, acreditando se identificar mais com o estado da arte no contexto europeu. Contou entusiasmar-se ao visitar as comic shops francesas, e falou sobre a facilidade em se encontrar uma revista Disney em qualquer esquina nos países Nórdicos. Expressou seu desgosto com o gênero de super-heróis, reafirmando que identifica seu trabalho como mais próximo ao que a Europa continuou a fazer.

Mr. Rosa Rockstar

O Mestre enfatizou ainda o quão diferente é sua relação com o público norte-americano e o público europeu de maneira geral. Afirmou ser absolutamente desconhecido em seu país natal, enquanto que, quando visita a Europa, pula do anonimato para as manchetes de jornal, algo que considera até hoje extremamente surreal. Divertiu-se ao contar que participou de programas de entrevista nas TVs locais de países como a Finlândia, mas que jamais faria o mesmo nos EUA. Perguntado pela esposa sobre como consegue se portar tão naturalmente nessas situações, ele afirma que não se preocupa absolutamente, pois sabe que no fundo nada daquilo é real. Frente às risadas do público, o autor afirmou jocosamente que ainda suspeita no fundo de que tudo isso se trata de uma grande peça bastante elaborada que tais federações insistem em pregar nele.

Herdeiro do trono

Don Rosa contou que o reconhecimento de seu trabalho pelos fãs europeus legitima para ele a realização de um sonho que ele percebe até hoje como extremamente surreal. Reafirmando sua admiração pelo trabalho pioneiro de Carl Barks, contou que foi tardiamente em sua vida que decidiu se arriscar a criar quadrinhos com seus personagens favoritos, e que nunca imaginou que seria reconhecido como um dos maiores autores do meio, como é hoje em dia. Várias matérias da imprensa nacional sobre a vinda do Mestre descreveram-no como principal herdeiro do legado de Carl Barks, ideia que o autor descreveu como bastante querida. Emocionado, Rosa recebeu uma ovação em pé dos fãs presentes, num momento bastante emocionante entre fãs e artista.


Torçamos para que este evento seja o primeiro de muitos, e que a presença não apenas do Mestre Rosa mas dos autores Disney em geral seja crescente nos eventos de quadrinhos nacionais, que tem felizmente crescido e se desenvolvido bastante nos últimos anos.

Grande abraço a todos, uma ótima semana!

Alphs & Kinha


1 comentários:

Artur Azevedo said...

Quem me dera estar na presença deste grande mestre. Será que virá também a Portugal?
Phantoms aka vivenda

Post a Comment