Os Cães da Disney - Parte III

Mais duas estrelas caninas da Disney desvendadas para os fãs...

Cão

O nome do cachorro do Urtigão pode até não parecer muito criativo, mas quando você lê as histórias, percebe que o nome casa perfeitamente com o jeito caipira do velho matuto.  Das quase 650 histórias conhecidas do velho rabugento, o Cão, seu fiel parceiro, esteve com ele em pouco mais da metade delas (mas acredito que possa ser mais que isso, pois sem participação efetiva, pode ter sido deixado de lado em algumas indexações).

A origem dos dois personagens também se dá ao mesmo tempo, na história “It’s Music com roteiro de Dick Kinney e desenhos de Al Hubbard em outubro de 1964. A história foi publicada no Brasil como “Aqui Está O Nhum-Nhum-Nhumoriginalmente na revista Mickey 166 de 1966 (depois republicada no especial de 50 anos do velho Urtiga com o nome “Isso é música?)”.


O velho perdigueiro farejador já não é mais o mesmo e quer mesmo é sombra e sossego. Mesmo não sendo muito ativo na maioria das histórias, o Cão sempre marca presença e é, geralmente, útil para manter afastados os chatos, curiosos e, principalmente, o Peninha. O Brasil foi o país que mais utilizou o personagem. São 266 histórias cadastradas contra 34 italianas e outras 34 da Disney Studios. Além destes 3 países só a Dinamarca publicou o personagem em 2 histórias apenas.

Na história “História de Cão” publicada na revista Urtigão 82, o velho Urtiga conta como encontrou o parceiro, ainda nos tempos de piazote. Ou seja, teoricamente eles são parceiros de longa data.

Ao longo de suas centenas de histórias, o Cão já foi raptado (“Tudo pelo meu cão” – Pato Donald 1508), já foi astro de TV (“O Cão Nastrão” – Almanaque Disney 156), já se perdeu no mato (“Perdido no mato, sem cachorro” – Pato Donald 1716 e “Num mato com cachorro” – Urtigão 40), já foi quase vendido (“Eta Cão” – Tio Patinhas 261), já se apaixonou (“Paixão de Cão Urtigão 35), já trocou de corpo com o Urtigão (“Vida de Cão” – Urtigão 51) e já até tentou mudar seu nome, pra Magaiver ("Um Cão Chamado Cão" – Urtigão 118).



Em 1993 o Cão ganhou uma série de aventuras como protagonista em um série chamada de “As Incríveis Aventuras do Cãocom roteiros de Arthur Faria Jr.  e desenhos de Carlos Edgard Herrero. Foram 3 histórias, com logotipo e tudo, publicadas nas revistas Urtigão 162, 163 e 164. O Inducks ainda inclui no arco uma quarta aventura, publicada na revista Zé Carioca 1993, “O Vigilante” mas esta vem fora da sequencia e não aparece o logo do arco.




Trambique


O Peninha já tentou ter um cachorro de estimação também. Mais de uma vez, diga-se. Mas o que mais se destacou entre eles foi o Trambique.

A primeira das 22 aparições do Trambique (Poochie, no Inglês) foi na história “Um tímido Jabuti” de 1973, publicado aqui na revista Pato Donald 1160, de 1974, mas ele era um pouco diferente de como ficou caracterizado depois e foi chamado de Pupi. Ah, e era, aparentemente, o cachorro do Donald. Pelo que consta no Inducks, existem 4 histórias inéditas do Trambique aqui no Brasil.


Mas o Peninha teve outros cachorros...

Um dos mais interessantes foi o Jujuba, que o Peninha adotou na história “Quem não tem cão...” publicada na revista Mickey 257. Interessante porque era o cachorro de um ricaço que pagou uma gorda recompensa pela devolução do cão. Mas eis que na história “O Caozinho de Estimação”, no Pato Donald 1218, o mesmo ricaço paga outra recompensa para o Peninha voltar a ficar com o cachorro (agora bemmmm maior).


Na história “O Caozinho de Estimação”, publicada na revista Zé Carioca 1159, aparece um São Bernardo Branco, também como cão de estimação do Peninha, inclusive indexado com o mesmo nome do cão das outras duas histórias, mesmo sendo obviamente outro cão.




O Peninha também tentou cuidar de cães alheios... Claro que nunca deu certo...


Bom, por hoje chega de cachorrada... logo, logo vem a parte IV....


Category:

0 comentários:

Post a Comment